Orthohack R1

Orthohack R1

  • 70 Alunos matriculados
  • 50 Horas de duração
  • 55 Aulas
  • 4 Módulos
  • 1 mês de suporte
Acesso Gratuito
Acessar Dê um passo adiante em sua carreira!
Wilisson Ribeiro Filho

Sobre o curso: 

Curso com temas para R1

A filosofia do curso OrthoHack foi desenvolvida durante mais de uma década de experiência em ensino em ortopedia e traumatologia.

Observamos que a sociedade e os médicos evoluíam, adicionavam novas técnicas de estudo e novos formatos de mídia, mas a forma básica do ensino da especialidade não evoluía.

O curso OrthoHack não é apenas um apanhado de aulas sobre os principais temas em Ortopedia, mas um método de ensino, sistematizado que utiliza diversas ferramentas já consagradas pela neuropsicologia para com o foco no aluno e no aprendizado maximizar a quantidade de informação que pode ser apreendida pelo estudante, fazendo assim valer cada hora de diversão e descanso que é trocada por uma hora de estudo.

Não há caminho fácil, para cumprir de forma mínima o cronograma. O médico deverá dedicar uma parcela do seu tempo para assistir as aulas, fazer os exercícios e estudar. Mas terá a certeza de que fará isso com método e que será acompanhado por um time composto por alguns dos melhores professores e ortopedistas do país.


Tempo máximo de concentração

Sabe-se que em média uma pessoa tem a capacidade de atingir o pico de concentração máxima e se manter assim por aproximadamente 30 minutos. Após este período inicia-se um processo de perda de foco e assim a produtividade começa a declinar.

Durante as aulas propõe-se uma pausa de 5 minutos para descanso, que devem ser respeitadas, afim de manter a concentração por todo o período.

Os tempos de estudo e as divisões das matérias a serem estudadas devem obedecer a mesma lógica.


Ciclo Perpétuo de Estudo

O médico em geral trabalha em turnos e em sua imensa maioria dá plantões que passam de 24 horas.

Aulas com dias da semana fixos acabam por transformar o aprendizado numa experiência desigual, na qual em algumas matérias o aluno está cansado e não aprende ou nem mesmo assiste à aula e em outras está sempre disposto apresentando uma performance melhor.

Nesta metodologia o aluno tem um prazo pré-definido para cumprir todo o planejamento da aula (assistir, ler, estudar e fazer os exercícios), e este tempo é mais elástico e maleável, não deixando assim o aluno sobrecarregado ou sem ter tarefas em alguns períodos.


Estudo ativo

Diversos trabalhos publicados na literatura já demonstraram que a forma como o estudante brasileiro estuda é uma das mais ineficazes e contraproducentes do mundo. 

Apenas assistir às aulas, grifar textos, fazer resumos e reler o material são técnicas que isoladamente tem resultados piores do que outras técnicas utilizadas principalmente por estudantes da Europa e Estados Unidos.

As técnicas descritas acima tem em comum o fato de serem todas técnicas de estudo passivo, não havendo uma ação central por parte do cérebro para a consolidação das informações. Na maioria dos casos essas informações estudadas se perdem no processo de transferência da memória de curto prazo para memória de longo prazo.

As técnicas de estudo ativo maximizam essa transferência e tornam estas informações estudadas disponíveis ao cérebro quando solicitadas, mesmo após meses sem acessa-las.

A técnica de estudo ativo está implicada em todos os passos que serão solicitados ao aluno, desde de exercícios a serem feitos até alguns resumos de matérias importantes aos quais será recomendado que o aluno faça. Esses resumos devem ser retroalimentados e testados com as questões que serão fornecidas.


Aprendizagem por testagem

Uma das melhores formas de aprender e de saber se o que foi estudado realmente foi compreendido é fazer testes e exercícios.

Mas existe um método correto para realizar os exercícios e para corrigi-los. Em algum momento ao estudante será solicitado que resolva questões com o apoio do livro e em outros sem nenhum auxilio.

Em outros momentos as questões respondidas de maneira incorreta serão novamente enviadas aos alunos para que refaçam, assim dando a oportunidade e as ferramentas para que foquem nos pontos fracos do conhecimento. 

6 meses Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 6 meses após a matrícula.
Nenhuma descrição cadastrada.
Wilisson Ribeiro Filho
""


Conteúdo Programático

  • 1. Aula 1 - Punho e Mão - Anatomia e Exame Físico - Yussef Ali Abdouni
  • 2. Aula 2 - Joelho Exame fisico e anatomia
  • 3. Aula 3 - Quadril adulto - Mustafa A. Zoghbi
  • 4. Aula 4 - Pé e Tornozelo - Exame Físico - Dr.Carlos Daniel Candido de Castro Filho
  • 5. Aula 5 - Cotovelo - Carlos A. Mattos
  • 6. Aula 6- Semiologia do Ombro - Carlos A. Mattos
  • 7. Aula 7 - Anatomia e Biomecânica da Coluna Vertebral - Dr. Allan Ono
  • 8. Aula 8 - Semiologia e Avaliação Clinica da Coluna Vertebral - Dr Allan Ono
  • 1. Aula 1 - Fratura de clavícula - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 2. Aula 2 - Fratura na articulação Acromioclavicular - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 3. Aula 3 - Fraturas e luxações de úmero proximal - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 4. Aula 4 - Fratura de úmero distal - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 5. Aula 5 - Fratura da diáfise do úmero - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 6. Aula 6 - Fraturas e Luxações do cotovelo - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 7. Aula 07 Fraturas do antebraço do adulto - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 8. Aula 8 - Fraturas do colo do fêmur - Dr. Willsson Ribeiro Filho
  • 9. Aula 9 - Fraturas Transtrocantéricas do Fêmur - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 10. Aula 10 - Fraturas Subtrocantéricas - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 11. Aula 11 - Fratura do fêmur distal - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 12. Aula 12 - Fratura da diáfise femoral - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 13. Aula 13 - Fratura de Patela - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 14. Aula 14 - Fratura Diafisária da Tíbia - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 15. Aula 15 - Fratura do pilão tibial - Dr. Wilisson Ribeiro Filho
  • 16. Aula 16 - Fratura de tornozelo - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 17. Aula 17 - Fraturas do Médio pé e antepé - Dr. Willison Ribeiro Filho
  • 18. Aula 18 - Fratura do planalto tibial - Dr. Rodrigo P S Nunes
  • 19. Aula 19 - Fraturas da pelve - Mustafa A. Zoghbi
  • 20. Aula 20 - Fraturas e luxações do acetábulo e quadril - Dr. Mustafa A. Zoghbi
  • 21. Aula 21 - Fraturas do calcâneo - Dr. Carlos D. C. de Castro Filho
  • 22. Aula 22 - Fraturas do tálus - Dr. Carlos D. C. de Castro Filho
  • 23. Aula 23 - Fratura do Taraco Lombar - Dr. Allan Ono
  • 24. Aula 24 - Fratura da Coluna Cervical Alta - Dr. Allan Ono
  • 25. Aula 25 - Fratura Luxação Cervical Subaxial - Dr. Allan Ono - 28/06/2021
  • 1. Aula 01 - Fraturas da Mão e Carpo - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 2. Aula 02 - Fratura Diafisária dos osso do antebraço - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 3. Aula 03 - FRATURA LUXAÇÃO DE MONTEGGIA - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 4. Aula 04 - FRATURA DA CABEÇA DO RADIO E OLÉCRANO - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 5. Aula 05 - Fratura do Rádio Distal na Criança - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 6. Aula 06 - Fratura do Epicondilo Lateral e Medial - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 7. Aula 07 - Fratura Supracondiliana - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 8. Aula 08 -Fraturas do Úmero Proximal Diafise do Úmero - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 9. Aula 9 - Lesões da coluna cervical em crianças - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 10. Aula 10 - Fratura de coluna toracolombar - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 11. Aula 11 - Fratura de pelve e acetábulo - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 12. Aula 12 - Fratura do quadril da criança - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 13. Aula 13 - Fraturas do Tornozelo Pediátrico - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 14. Aula 14 - Fratura diafisária de fêmur
  • 15. Aula 15 - Fratura do Fêmur Distal - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 16. Aula 16 - Fratura da tíbia proximal - Dr. Willisson Ribeiro Filho
  • 17. Aula 17 - Fratura da diáfise da tíbia - Dr. Willisson Ribeiro Filho - 02/08/2021
  • 1. Correções do Taro - Parte 1
  • 2. Questões Taro 01 a 25
  • 3. Questões Taro 26 a 50
  • 4. Questões Taro 51 a 75
  • 5. Questão Taro - 76 a 100
Voltar ao topo